Online: 311
 
 
A Família
( 9179 visitas )

Publicado em: 13/4/2007
Por: Esli de Souza
Assembléia de Deus / Missão - Curitiba / PR
eslidesouza@zipmail.com.br
 

RESUMO

Abordando o novo conceito de família e as mudanças comportamentais na sociedade contemporânea, este texto pretende incitar uma reflexão, sobre a responsabilidade dos pais em deixar aos filhos um legado que possa contribuir para a formação do caráter destes, em conformidade com os padrões cristãos, ao mesmo tempo em que os filhos, por sua vez, devem refletir sobre os benefícios de honrar seus genitores, que é o primeiro mandamento com promessa, ouvindo a instrução do pai e não desprezando a doutrina da mãe. Esse comportamento concorrerá para a constituição da sociedade ideal.


    Palavras-Chave: família – comportamento – sociedade.


O conceito de família, de acordo com a Bíblia (Pv: 6.20), constitui, essencialmente de pai e mãe e, não necessariamente, de um ou mais filhos que, conforme Salmos 127.3, “...são herança do Senhor,...”

Porém, o atual Código de Direito Civil, no novo conceito de família, são consideradas famílias os grupos formados não só pelo casamento civil ou religioso, mas também pela união estável de homem e mulher ou por comunidade dirigida somente por um homem ou por uma mulher. Antes, uma união que não fosse formada pelo casamento formal era considerada "família ilegítima". Da mesma forma, "filho ilegítimo" é uma expressão que não cabe mais em nossa sociedade. O conceito atual de família, fica esclarecido com a promulgação da Lei n° 11.340/2006, de 07/08/2006, que define a família moderna:

“Art. 5° Para os efeitos desta Lei,...
        I – (...);
    II – no âmbito da família, compreendida como a comunidade formada por indivíduos que são ou se consideram aparentados, unidos por laços naturais, por afinidade ou por vontade expressa (...).

Parágrafo único. As relações pessoais enunciadas neste artigo independem de orientação sexual".

    De acordo com esta Lei fica bem claro que a família moderna pode ser constituída por homossexuais.

A sociedade contemporânea tem experimentado grandes transformações devido às mudanças de comportamento em função da inversão dos valores morais. A afirmação de Fernand Braudel2 em uma de suas obras, define muito bem as conseqüências dessas mudanças de comportamento: “Algumas mudanças de comportamento observadas na privacidade dos lares, tiveram efeitos até mais marcantes sobre os rumos das sociedades do que certas reviravoltas políticas ou decisões administrativas.”

Essas mudanças de comportamento têm provocado uma grave deterioração dos padrões de moralidade, deterioração essa que tem como uma de suas fontes de origem a mudança do conceito de família.

Deus ao estabelecer a primeira e mais importante instituição humana na terra, a família (Gn 2.24), deixou bem claro o valor dessa instituição que surgiu antes de qualquer outra forma de agrupamento social, antes até mesmo da Igreja. E, na Lei de Moisés (Dt 4.9), deixa bem claro a responsabilidade dos pais em transmitir aos filhos uma herança espiritual coerente com os princípios bíblicos, que são imutáveis. A negligência nessa herança pode resultar em trágica ruína espiritual para os descendentes. A história da humanidade contém inúmeros exemplos de famílias que deixaram um legado de nefastas conseqüências.

Portanto, é obrigação e não uma opção dos pais dar aos filhos a instrução e a disciplina condizente, com a formação cristã. Os pais devem ser exemplos de vida e conduta cristãs, e se importar mais com a vida espiritual dos filhos do que com seu emprego, profissão, trabalho na Igreja ou posição social, não que estes sejam menos importantes, mas a prioridade deve ser a formação do caráter dos filhos. Uma conduta genuinamente cristã reflete na constituição de um caráter coeso com os padrões de moralidade, mesmo que esses padrões sofram alterações ao longo do tempo.

Segundo a palavra do Apóstolo Paulo em Efésios 6.4: “...vossos filhos, mas criai-os na doutrina e admoestação do Senhor.”, bem como as instruções do próprio Deus no Antigo Testamento, Salmos 78.5 diz: “...e pôs uma lei em Israel, e ordenou aos nossos pais que fizessem conhecer a seus filhos”, é responsabilidade dos pais dar aos filhos criação que os prepare para uma vida do agrado do Senhor.

Os filhos também têm sua parcela de responsabilidade nesse processo de formação do seu caráter de acordo com os princípios bíblicos. Não basta aos filhos apenas receberem dos pais uma orientação condizente com a Bíblia, é necessário colocá-la em prática. O sábio Salomão em Provérbios 1.8 diz: “Filho meu, ouve a instrução de teu pai e não deixes a doutrina de tua mãe”.

O apóstolo Paulo escrevendo aos Efésios capítulo 6, versículo 2 diz: Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa”. Se nossa fé no Senhor Jesus Cristo for real, ela será geralmente demonstrada no âmbito familiar, no relacionamento com aqueles que nos conhecem melhor. Filhos e pais Têm responsabilidades mútuas uns para com os outros. Os pais devem transmitir aos filhos uma herança espiritual fundamentada na Palavra de Deus e estes devem honrar seus pais, pondo em prática o legado cristão herdado, com a garantia de que serão abençoados pois este é “o primeiro mandamento com promessa”.

Tendo uma conduta de vida do agrado do Senhor, conseqüentemente, os parâmetros que define o caráter de um cidadão não serão infringidos. A prova disso é que um percentual cada vez maior de empresas tem priorizado recrutar seus colaboradores dentre os que se declaram evangélicos, numa clara evidência que esse seria o ideal de sociedade.

É a família, e não a Igreja ou a Escola Dominical, que tem a principal responsabilidade do ensino bíblico e espiritual dos filhos. A Igreja e a Escola Dominical apenas ajudam os pais no ensino dos filhos. Uma família estruturada de acordo com os princípios bíblicos, que conserva o conceito original de família, tem a garantia de atingir este objetivo: agradar o Senhor, uma vez que, “o temor do Senhor é o princípio da ciência.” (Pv 1:1.7).


Referências

BÍBLIA DE ESTUDO PENTECOSTAL, Rio de Janeiro, CPAD, 1995.

BÍBLIA DE APLICAÇÃO PESSOAL, Rio de Janeiro, CPAD, 2003.

GAMA, Ricardo Rodrigues. Novo Código Civil Brasileiro. São Paulo, Cultura, 2005.

ROJAS, Carlos Antonio Aguirre. Braudel, o mundo e o Brasil. São Paulo, Cortez, 2004.


1. Presbítero da Igreja Evangélica Assembléia de Deus em Curitiba(PR), Bacharel em Teologia pela Escola de Educação Teológica da Assembléia de Deus, Licenciado em Química pela Universidade Estadual de Londrina, Especialista em Pedagogia Escolar pela Universidade Internacional de Curitiba, Professor de Escola Bíblica Dominical e de Ensino Médio na Rede Pública Estadual do Paraná.


2. (24 de agosto de 1902 - 27 de novembro de 1985) foi um historiador francês. Um dos mais importantes representantes da Ecolé des Annales (Escola dos Anais), formado em História na Universidade de Sorbonne.

Você se sentiu tocado ao ler esta mensagem ?
Então CLIQUE AQUI !

 

Comente aqui e ajude a divulgar esta mensagem para seus amigos no facebook ...

   

 

 

 

  .::: Sinais dos Tempos :::.
  .:: Boletins ::.
Receba boletins atualizados
do Portal Webservos:


  .:: Enquete ::.

 

•    Quem Somos    •     Fale conosco!     •

Página aberta em: 0,000 segundos

Usuários de Hoje: 15714



Melhor visualisado no Internet Explorer com resolução de 800x600

:: WebServo :: Portal Gospel de Evangelismo Virtual
Desenvolvimento e Coordenação de:
Enéas T. de Oliveira
--=(-wëbsèrvö-)=--