Online: 214
 
 
Plantando com lágrimas e colhendo com alegria
( 8212 visitas )

Publicado em: 18/5/2011
Por: Jânio Santos de Oliveira
Presbítero e professor de teologia da Igreja Assembléia de Deus Taquara - Duque de Caxias- Rio de Janeiro
janio-construcaocivil.blogspot.com
 

Salmos 126.5,6 Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria. Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos.

Esse é o Salmos 126, a preciosa semente é a palavra de Deus, geralmente para pregar acabamos passando por muitas aflições, muitas pessoas rejeitam e impedimentos sem fim aparecem em nosso caminho, mas mesmo chorando devemos falar sobre Jesus, pois haverá uma recompensa pelo nosso trabalho e muitas pessoas irão ter suas vidas mudadas por receberem nos seus corações a preciosa semente quando vermos isso ficaremos muitos felizes, mesmo que aparentemente as vezes não dê para ver resultados. Não devemos, portanto parar de semear como diz: Pela manhã semeia a tua semente, e à tarde não retires a tua mão, porque tu não sabes qual prosperará, se esta, se aquela, ou se ambas serão igualmente boas (Ec 11.6).

Semear com lágrimas é semear sem ver a colheita. Não há como semear, senão com lágrimas, porque a semeadura precede a colheita. Ah esta é a ordem: primeiro a semeadura, depois a colheita. Ouço diretores de empresas reclamarem de jovens que já querem começar pelo topo, indo logo para a colheita, sem passar pela semeadura. Semear chorando é semear sem saber que vai colher, até mesmo contra a esperança de colher, como quem lança pão sobre as águas (Ec 11.1). Semeia assim aquele para quem plantar faz parte do seu estilo de vida. Não importa se valerá a pena ou não: ele planta.

Semear com lágrimas é semear colocando no solo o grão que falta para a boca hoje. É passar fome hoje para ter amanhã. É acordar de madrugada, contra a vontade, para estudar, para trabalhar, para preparar a marmita que talvez esteja fria na hora do almoço. É saber que a vida é feita de esforço.

Semear chorando é viver de um modo em que não há vergonha nas suas práticas. É viver não para ser reconhecido em seu valor, mas viver de tal modo que será reconhecido. Lembro de uma professora do ensino médio cuja vida deu muitas voltas. Ela deu aulas por muito tempo em escolas particulares da sua cidade, o Rio de Janeiro. Sua vida e a de seus alunos seguiram seus naturais cursos.

Suas filhas cresceram e alcançaram a universidade. Para o bem delas, a família voltou ao Rio de Janeiro, mas sem emprego. Através de uma comunidade no Orkut, voltou a ter contato com vários de seus alunos. Um deles, empresário, lhe perguntou se precisava de algo e, mais tarde, lhe deu um emprego, ofereceu trabalho para uma de suas filhas e lhe alugou uma casa em condições muito favoráveis. Este seu aluno disse que jamais poderia esquecer a atenção que recebeu quando era estudante. Essa professora semeou; muitos anos depois, colheu; ela não plantou para colher, mas plantou e colheu. Ela viveu de um modo que gerou gratidão.

Semear com lágrimas é para quem sabe que a vida é feita de lágrimas e sorrisos, de insônias e sonos, de sonhos e frustrações, de sombra e luz, de vales e montanhas, de medo e paz, de derrotas e vitórias. Ninguém chega ao topo da montanha, se não subir e ninguém sobe sem suar, sem se perder, sem se cansar, sem tropeçar.

Ninguém atravessa o rio, se não nadar ou tomar um barco. Ninguém chega ao seu destino, se não fizer a viagem. Ninguém terminará de ler um livro, se não o vencer página por página.

Ninguém construirá uma casa, se não puser tijolo após tijolo na obra. Ninguém formará uma biblioteca, se não colocar nela livro por livro. Ninguém participará da sua própria formatura (num curso) ou passará num concurso, se não faltar a festas, deixando sua rotina alegre para construir uma outra rotina sisuda dominada pelo verbo estudar.

Ninguém colherá, se não plantar. Ninguém alcançará uma coisa, se não abrir mão de muitas coisas.

Semear chorando é plantar sabendo que não há missão impossível, mas missão a ser realizada, porque Deus faz convergirem as coisas para aqueles que O amam. Só então haverá júbilo, sim, o cântico da colheita será entoado "só quando a cansativa semeadura tiver sido completada e os campos estiverem maduros para a colheita. É neste ponto que nos encontramos no plano perfeito de Deus".

O conselho de Tiago é inspirador: "Portanto, irmãos, sejam pacientes até a vinda do Senhor. Vejam como o agricultor aguarda que a terra produza a preciosa colheita e como espera com paciência até virem as chuvas do outono e da primavera" (Tg 5.7).

Semear com lágrimas é fazer o que precisa ser feito e consagrá-lo a Deus, no sentido de feito para Deus. Semear com lágrimas é semear sem ver a colheita. Não há como semear, senão com lágrimas, porque a semeadura precede a colheita. Ah, esta é a ordem: primeiro a semeadura, depois a colheita. Ouço diretores de empresas reclamarem de jovens que já querem começar pelo topo, indo logo para a colheita, sem passar pela semeadura.

Semear chorando é semear sem saber que vai colher, até mesmo contra a esperança de colher, como quem lança pão sobre as águas (Ec 11.1). Semeia assim aquele para quem plantar faz parte do seu estilo de vida. Não importa se valerá a pena ou não: ele planta.

Semear com lágrimas é semear colocando no solo o grão que falta para a boca hoje. É passar fome hoje para ter amanhã. É acordar de madrugada, contra a vontade, para estudar, para trabalhar, para preparar a marmita que talvez esteja fria na hora do almoço. É saber que a vida é feita de esforço.

Semear chorando é viver de um modo que não haja vergonha nas suas práticas. É viver não para ser reconhecido em seu valor, mas viver de tal modo que será reconhecido. Semear com lágrimas é para quem sabe que a vida é feita de lágrimas e sorrisos, de insônias e sonos, de sonhos e frustrações, de sombra e luz, de vales e montanhas, de medo e paz, de derrotas e vitórias. Ninguém chega ao topo da montanha se não subir, e ninguém sobe sem suar, sem se perder, sem se cansar, sem tropeçar.

Ninguém atravessa o rio se não nadar ou tomar um barco. Ninguém chega ao seu destino se não fizer a viagem. Ninguém terminará de ler um livro se não o vencer página por página. Ninguém construirá uma casa se não puser tijolo após tijolo na obra. Ninguém formará uma biblioteca se não colocar nela livro por livro. Ninguém participará da sua própria formatura (num curso) ou passará num concurso se não faltar a festas, deixando sua rotina alegre, para construir outra rotina sisuda, dominada pelo verbo estudar. Ninguém colherá se não plantar. Ninguém alcançará uma coisa se não abrir mão de muitas coisas.

Precisamos conhecer que um é o que planta e outro o que rega, mas que só o Senhor é quem poderá ditar o ritmo de crescimento. (1 Co 3.7) Vamos ter paciência, portanto e não desistir de semear e fazer o bem, pois ao seu tempo ceifaremos se não houvermos desfalecido. (Gl 6.9) Que ninguém diga que é inútil pregar, na hora das aflições muitos desiste, e se o fruto demorar um pouco a aparecer tenha paciência ainda, poderoso é Deus para dar o crescimento e também para cortar fora e lançar no fogo a árvore que não der bons frutos.

Nossa vida de espera está debaixo da lei espiritual que diz que tudo aquilo que o homem semear, isto também ceifará (Gl 6.7). É uma questão de escolha. Se esperarmos no Senhor, do Senhor receberemos. Se esperarmos, do mundo nada receberemos. No entanto, Deus quer que vivamos a promessa do Salmos 126, que diz: “Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria. Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos.

O missionário tem os olhos cheios de lágrimas ao ver vidas transformadas do vício das drogas e do pecado que corrói a alma; Sorri ao ver o nascimento e o crescimento de uma vida aos pés do Salvador. Subindo km de morro a pique por causa de uma alma que precisa de oração e carinho, ou abraçar um estranho e dizer que ele é importante pra Deus.

Particularmente fico muito feliz ao ver velhos, mulheres e crianças com o coração no ardor missionário, desejando uma nova caravana, pois o tempo passa muito rápido e precisamos anuncias as boas novas de Salvação. Que tipo de semente que nos temos espalhado neste mundo afora? Qual tem sido o nosso cuidado na escolha destas sementes?

Claro! Estamos falando aqui de sementes espirituais. “... comparando as coisas espirituais com as espirituais” (I Co2.13).

Apesar de que não teria como falar de semeadura espiritual sem nos referirmos à semeadura natural.

No mundo espiritual temos a comparação obvia de semeadura.

“E dizia: O reino de Deus é assim como se um homem lançasse semente a terra” (Mc 4.26); “... o reino dos céus é semelhante ao homem que semeia a boa semente no seu campo” (Mt 13.24).

Quanto a isso, sabemos que tudo o que semearmos haveremos que colher indiscutivelmente, é uma lei dura e cega “Não erreis: Deus não se deixa escarnecer; porque tudo o que o homem semear, isso também ceifará” (Gl 6.7).

Deus sempre cuidou em fazer nascer à semente que semeamos: “Então te dará chuva sobre a tua semente, com que semeares a terra...” (Is 30.23).

E este é um ciclo inevitável que acontecerá sempre: “Enquanto a terra durar, sementeira e sega, e frio e calor, e verão e inverno, e dia e noite, não cessarão”.(Gn 8.22).

Ora semeamos a semente, mas não sabemos quando vamos colher, ou qual colheremos primeiro, mas uma certeza pode ter, colheremos.

“Semeia de manhã a tua semente, e não descanse a tua mão até a noitinha; pois não sabes onde esta terá bom êxito, quer aqui quer ali, ou se ambas serão igualmente boas”. (Eclesiastes 11:6); “Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos”. (Sl 126.6).

A semente deve ser bem escolhida por nós e sem muita mistura para não haver confusão. Não pode ter meio termo ou semeamos semente boa ou ruim, passou daí só vai dar problema.

“Não semearás a tua vinha com diferentes espécies de semente, para que não se degenere o fruto da semente que semeares, e a novidade da vinha”. (Dt 22.9).

Na nossa vida espiritual devemos tomar muito cuidado para não atrairmos a ira de Deus sobre nos, senão até nossas obras boas (boas sementes), atrairão desastre em nossas vidas.

“Semearam trigo, e segaram espinhos; cansaram-se, mas de nada se aproveitaram; envergonhados sereis das vossas colheitas, e por causa do ardor da ira do Senhor.” (Jeremias 12.13); “... e semeareis em vão a vossa semente (boa semente), pois os vossos inimigos a comerão”. (Lv 26.16); “Tu semearás, mas não segarás; pisarás a azeitona, mas não te ungirás com azeite; e pisarás o mosto, mas não beberás vinho”. (Mq 6.15).

Jesus nos ensinou a semearmos a boa semente, devemos seguir seu exemplo.

“... o que semeia a boa semente é o Filho do homem” (Mt 13.37).

Apesar de ser desastrosa uma colheita de semeadura mal semeada, não devemos deixar de plantar sementes boas. “Quem observa o vento, nunca semeará...” (Ec 11.4).

Precisamos somente ter cuidado na escolha das sementes e onde a semeamos.

“Preparai para vós o campo de lavoura, e não semeeis entre espinhos” (Jr 4.3).

Muitos plantam a má semente que por vezes irá ter a mesma aparência daquela boa semente plantada. Mas a colheita irá revelar os resultados.

“Deixai crescer ambos juntos até a ceifa; e, por ocasião da ceifa, direi aos ceifeiros: Colha primeiro o joio, e atai-o em molhos para queimá-lo; mas, o trigo ajunte-o no meu celeiro”. (Mt 13.30).

Sabemos que no universo tudo é regido por princípios e legalidades, não importando a área, seja mundo físico ou espiritual. Por isso temos a necessidade de conhecer melhor sobre as leis de semeadura, isto se pretendemos plantar muito, colher muito e sermos bem sucedidos.

Na semeadura espiritual temos algumas vantagens, por exemplo:

1. Por causa do livre arbítrio podemos plantar o que bem queremos;
2. Existe a nosso dispor uma não pequena variedade de sementes;
3. E não a limite de idade para sermos frutíferos (Sl 92.14).

Tem muita gente que vem semeando no atacado e no varejo todo tipo de semente, sem pensar nem medir as conseqüências disso.

Devemos entender que não existe arma nesta peleja, não tem como fugir da regra, o que semearmos o que fizermos receberemos, quer seja bem, quer seja mal.

“... cada um receba segundo o que tiver feito por meio do corpo, ou bem, ou mal”. (II Co 5.10).

Então, se plantarmos o mal em qualquer área de nossa vida é isso mesmo que vamos colher.

“Segundo eu tenho visto, os que lavram a iniqüidade e semeia o mal, isso mesmo eles colhem.” (Jó 4:8); “O que semear a perversidade colherá males; e com a vara da sua própria indignação será extinto”. (Pv 22.8); “Porque semearam vento, e colherão tempestade...”. (Os 8.7).

De cada semente que plantarmos nascerá um corpo ou produto (fruto, árvore...), que é na verdade o resultado final da semente plantada.

“E, quando semeias, não semeias o corpo que há de nascer, mas o simples grão, como de trigo, ou de outra qualquer semente. Mas Deus dá-lhe o corpo como quer, e a cada semente o seu próprio corpo”. (I Co 15.37,38).

No geral devemos entender que tudo o que fazemos todas as nossas atitudes, é como uma lavoura é uma plantação. Ou seja, em todo momento estamos plantando. Nossas ações são sementes, resta saber, que semente está plantando se é boa ou ruim.

Sementeira é diversa: meus pensamentos; minhas atitudes financeiras; minha convivência na sociedade, na igreja e em casa.

Sementes carnais ou sementes espirituais a escolha é minha. Posso plantar religiosidade, vento, miséria, pecado, fofoca, medo, palavras negativa, calote, traição, grosserias, brutalidade, incompreensão, perseguição, maldade é um monte de sementes carnais.

“... o que semeia na sua carne, da carne ceifará a corrupção...” (Gálatas 6:8).

“... os que lavram iniqüidade, e semeiam mal, segam o mesmo” (Jó 4.8).

“O que semear a perversidade segará males; e com a vara da sua própria indignação será extinto” (Pv 22.8). “Porque semearam vento, e colherão tempestade, não haverá seara, a erva não dará farinha; se a der, tragá-la-ão os estrangeiros” (Os 8.7).

Por outro lado poderemos semear sementes boas e colhermos os frutos delas. Podemos semear: fidelidade, obediência ao Senhor, consagração, bondade, compreensão, carinho, amor, misericórdia, compaixão, paciência, e muitas outras atitudes boas. Se semearmos no espírito, por certo colheremos coisas boas, benditas e a vida eterna. "... O que semeia no Espírito, do Espírito colherá a vida eterna...” (Gl 6.8).

Acontece que muita gente deixa de fazer o bem, retendo as sementes, e tem até quem prefere comer as sementes ai a coisa fica séria pra esta pessoa.

"Aquele, pois, que sabe fazer o bem e não o faz, comete pecado." (Tg 4 . 17).

“... não poderás comer o dízimo do teu grão, nem do teu mosto, nem do teu azeite, nem os primogênitos das tuas vacas, nem das tuas ovelhas; nem nenhum dos teus votos, que houveres prometido nem as tuas ofertas voluntárias, nem a oferta alçada da tua mão” (Dt 12.17).

“... porque com a mesma medida com que medirdes, também vos medirão de novo” (Lc 6.38).

Semear coisas boas não é nada fácil, mas o resultado na hora da colheita é gratificante.

"Os que com lágrimas semeiam com júbilo ceifarão. Quem sai andando e chorando, enquanto semeia, voltará com júbilo, trazendo os seus feixes" (Sl 126.5,6).

...trazendo consigo os seus molhos.

Nosso esforço em semear é recompensado quando ‘‘colhemos os molhos‘‘.

O alvo de quem semeia é a colheita, na ocasião da colheita contemplamos o que antes era uma pequena semente e agora é um lindo fruto.

Celebremos nossas libertações. Sejam materiais, emocionais ou espirituais. Desfrutemos as bênçãos recebidas.

Fluirão de nossas vidas através de Deus vitórias alcançadas. Continuemos orando para que Deus complete o que começou em nós e através de nós.

Só depois de celebrarmos o que Deus nos deu é que devemos Lhe pedir mais.

Prossigamos semeando, mesmo banhado em lágrimas, mesmo que com muitas dificuldades.

Então não importa se você não esta vendo, o que importa é que foi plantada a semente e o Senhor dará o crescimento na hora certa.

Não deixe de semear, porque naquele grande dia o Senhor vai colher os seus frutos e te dará galardão segundo as suas obras.

Fique na paz do Senhor Jesus.


Você se sentiu tocado ao ler esta mensagem ?
Então CLIQUE AQUI !

 

Comente aqui e ajude a divulgar esta mensagem para seus amigos no facebook ...

   

 

 

 

  .::: Sinais dos Tempos :::.
  .:: Boletins ::.
Receba boletins atualizados
do Portal Webservos:


  .:: Enquete ::.

 

•    Quem Somos    •     Fale conosco!     •

Página aberta em: 0,000 segundos

Usuários de Hoje: 497



Melhor visualisado no Internet Explorer com resolução de 800x600

:: WebServo :: Portal Gospel de Evangelismo Virtual
Desenvolvimento e Coordenação de:
Enéas T. de Oliveira
--=(-wëbsèrvö-)=--