Online: 395
 
 
A mulher que ungiu a Jesus com o vaso de alabastro
( 10800 visitas )

Publicado em: 4/3/2012
Por: Jânio Santos de Oliveira
Presbítero e professor de teologia da Igreja Assembléia de Deus Taquara - Duque de Caxias - RJ
janio-estudosteolgicos.blogspot.com
 

Meus amados e queridos irmãos em Cristo Jesus, a paz do Senhor!

Vamos meditar nesta oportunidade em Mc 14: 3 – 9 que diz:

3 - Estando ele em Betânia, reclinado à mesa, em casa de Simão, o leproso, veio uma mulher trazendo um vaso de alabastro com preciosíssimo perfume de nardo puro; e, quebrando o alabastro, derramou o bálsamo sobre a cabeça de Jesus.

4 - Indignaram-se alguns entre si e diziam: Para que este desperdício de bálsamo?

5 - Porque este perfume poderia ser vendido por mais de trezentos denários e dar-se aos pobres. E murmuravam contra ela.

6 - Mas Jesus disse: Deixai-a; por que a molestais? Ela praticou boa ação para comigo.

7 - Porque os pobres, sempre os tendes convosco e, quando quiserdes, podeis fazer-lhes bem, mas a mim nem sempre me tendes.

8 - Ela fez o que pôde: antecipou-se a ungir-me para a sepultura.

9 - Em verdade vos digo: onde for pregado em todo o mundo o evangelho, será também contado o que ela fez, para memória sua.

Através desses versos vemos que a intenção do fariseu em levar Jesus a sua casa era simplesmente de mostrar as pessoas que recebia alguém importante em sua casa, visto que a casa ficava aberta durante o jantar.

Não se importou verdadeiramente em servir a Jesus com amor, através de gestos simples como lavar os pés e beijar-lhe a face. O ato de lavar os pés era um costume ao receber visitantes, um modo hospitaleiro de servi-los, como lemos em I Timóteo 5,10.

O ósculo (beijo) também era um cumprimento muito comum entre os judeus. Mas Simão, o fariseu, não realizou as mínimas honrarias a um visitante tão importante como Jesus, por outro lado, a mulher fez muito mais do que o necessário.

Quantas vezes nós agimos como o fariseu, querendo apenas demonstrar aos outros que temos Jesus? Vivendo uma religiosidade muitas vezes só de aparência, não se importando em nos humilhar diante dEle, confessando nossa situação pecaminosa, derramando lágrimas de verdadeiro arrependimento, adorando-O com coração sincero, lavando os seus pés.

Algumas vezes nos achando melhores ou mais santos do que outras pessoas, agindo de forma preconceituosa, até mesmo evitando se aproximar ou deixar aproximar-se de pessoas que, como aquele fariseu julgamos ser “pecadoras”.

Na igreja cantamos, louvamos, choramos, contribuímos, mas muitas vezes, na verdade é apenas de fachada, pois no nosso íntimo estamos distantes de uma genuína comunhão com o Pai.

Sejamos como aquela mulher, achegamo-nos diante dEle humildemente, Ele conhece o nosso coração, muito mais do que nós mesmos, confessemos nossas falhas, não há nada que podemos esconder dos seus olhos. Confiando que Ele é fiel e justo para perdoar nossos pecados e nos purificar de toda injustiça (I Jo 1,9).

Se não tivermos forças, pedimos ao seu Santo Espírito, pois é a bondade do Senhor que nos conduz ao arrependimento (Rm 2,4).

I. Veja as definições de algumas palavras do texto:

1) Vaso de Alabastro com ungüento - Frasco de gargalo comprido, feito de material delicado e translúcido.

O alabastro era um gesso branco, finíssimo, uma pedra mais suave do que o mármore. Ungüentos e perfumes preciosos eram transportados em frascos dessa natureza. A maioria desses frascos era proveniente de Damasco, na Síria, ao passo que o mais excelente ungüento, de nardo, procedia de Tarso, na Cilícia.

2) Denário - era uma moeda romana, feita de prata, e valia um dia de trabalho de um lavrador. 500 denário correspondiam a 500 dias de trabalho...

II. Maria unge Jesus

Jesus pagou o preço para salvar você, esperando que sua resposta ao amor que Ele mostrou por nós, seja a entrega total de vida a Ele. Como tem sido sua resposta? Você tem respondido de maneira satisfatória ao amor que Ele lhe tem dado?

Há uma história contada nos evangelhos que ilustra muito bem o que Jesus espera de nós. Vamos olhar para ela, nos auto-examinando nesta questão:

III. Veja as definições das personagens:

 Certa pecadora


“E eis que uma mulher da cidade, uma pecadora, sabendo que ele estava à mesa em casa do fariseu, levou um vaso de alabastro com ungüento.” (Lc 7.36-47).

Essa pecadora não pode ser identificada com Maria Madalena, nem com Maria, de Betânia. Maria Madalena é citada nominalmente pelo mesmo evangelista, em Lucas 8.2: “Maria, chamada Madalena, da qual saíram sete demônios”.

 Maria irmã de Marta

Tinha ela uma irmã chamada Marta (Lc 10.39) Assentou-se aos pés de Jesus e ouviu a Sua palavra (Lc 10.39)

 Maria, de Betânia, irmã de Marta
Eram irmãs de Lázaro, a quem Jesus fez reviver (Jo 11.18...)

 Maria, em Betânia
Enquanto Marta servia, Maria ungiu os pés de Jesus e os enxugou com seus cabelos (Jo 12.3)

IV. Pelo que as pessoas geralmente procuram a Deus?

a) Elas procuram a Deus nas tragédias humanas. Quando uma forte chuva inunda cidades, um terremoto de grandes proporções destrói casas e prédios, um vulcão explode e sua lava submerge vilarejos, os seres humanos se lembram de Deus.

b) Elas procuram a Deus quando são vítimas da injustiça. Quando a guerra explode entre os povos, centenas e milhares são perseguidos, expulsos de suas terras, pais perdem seus filhos, e filhos os seus pais, quando a tortura e a impiedade avançam sem que ninguém se importe, a voz da raça humana se ergue para o céu.

c) Elas procuram a Deus quando precisam de milagres. Quando há apenas uma única chance para a vida, e essa chance depende de um milagre, então lá está o homem à procura de Deus.

É por isso que você sempre encontra um homem, do tipo que está sempre ocupado demais com seu trabalho, seu lazer, seus negócios, em algum altar, de alguma capela de hospital, clamando a um Deus desconhecido, um Deus desprezado nos bons momentos, pedindo pela vida de um filho, da esposa, de um pai, de uma mãe.

Mas não é isso que acontece em Betânia

Não há ali catástrofes da natureza, ou perseguição pela guerra ou mesmo um pedido de milagre.

Maria está sendo levada ali por um amor avassalador. É um amor que toma a alma humana e literalmente a derrete.

Na verdade a alma daquela mulher não pode mais reter a força daquela admiração, não pode suportar a torrente daquela paixão, não pode mais resistir um momento sequer ao vagalhão daquele amor que consome a sua alma. Ela precisa ir até Jesus e extravasar isso.

Você pode perguntar – mas como isso acontece? Isso acontece quando o mais poderoso de todos os encontros se dá – o encontro entre a criatura perdida e o Criador amoroso.

É como se o sedento fosse literalmente encharcado por correntes de um rio de água viva;

É como se ao faminto, que há dias não come, fosse servido o Pão da vida;
É como o viajante, que perdido no meio da escuridão, encontra a Luz do Mundo;

Quando o nosso coração já não suporta mais o peso do seu pecado e é aliviado da opressão da sua iniqüidade pelo poder purificador do sangue de Cristo; quando a alma humana sente as torrentes do perdão divino arrebentando as fortalezas da condenação, o resultado é AMOR, um amor Extravagante.

Era isso que o rei Davi falava no salmo 51:

"Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova dentro de mim um espírito inabalável. Não me repulses da tua presença, nem me retires o teu Santo Espírito.

Restitui-me a alegria da tua salvação e sustenta-me com um espírito voluntário...

”Abre, Senhor, os meus lábios, e a minha boca manifestará os teus louvores".
( Sl 51.10-12,15)

Quando esse amor começa a transbordar no interior do ser humano, ele precisa depressa expressar isso. Então aquela mulher corre, ela tem que ir até Jesus – somente nEle a sua ansiedade, sua mais alta aspiração poderá ser satisfeita.

Se alguém vai assistir o culto, então se parece mais com um cliente que vai ao Shopping – nem sabe bem o que quer.

Muitos cristãos se comportam no Templo como clientes – eles olham a maneira como as pessoas se vestem, ou o carro que elas utilizam, a maneira como falam, sempre criticam o dirigente da musica, ou a mensagem do pastor. Clientes não têm o motivo certo para adorar.

Alguns vêm apenas para serem alimentados. Isso faz parte, mas é um efeito colateral – não é o princípio da adoração.

Para ser alimentado, é preciso ter fome, e alguns cristãos vem ao Templo, mas não trazem a fome e a sede de justiça em suas almas, não vêem a hora que tudo termine.

Mas alguém sempre irá para Adorar. Você percebe logo – está nos olhos da pessoa, está no sorriso do seu rosto, ou nas lágrimas da sua angústia.

O verdadeiro adorador veio encontrar-se com Deus. Seu coração está cheio de gratidão e precisa extravasar essa alegria.

Foi em Betânia, na casa de Simão, o leproso (Mt 26.6; Mc 14.3)

Foi em Betânia, onde estava Lázaro, que se achava presente. Estavam ali Marta e Maria (Jo 12.1-3)

V. Veja as três atitudes daquela mulher:

1- A atitude de Maria quebrando o alabastro caríssimo para ungir Jesus.
(Mc 14.3 ; Jo 12. 2 , 3)

quebrou o frasco e derramou o perfume muito caro de nardo puro (v.3)

Derramou sobre a cabeça de Jesus ( v.3)

a casa encheu-se com a fragrância do perfume( Jo 12.3)

 Adorar é Oferecer Presentes Caros a Deus.

"Que darei ao SENHOR por todos os seus benefícios para comigo?" (Sl 116.12).

Essa é uma questão gravíssima quando se deseja agradar a Deus: o que fazer para que eu seja aceitável diante dEle? Porque se você ama profundamente ao Senhor, vai querer agradá-lo, portanto vai desejar presenteá-lo.

Mas como presentear alguém que tem tudo?

Deus mesmo disse: “ninguém apareça de mãos vazias perante mim.” (Ex 23.15)
Adorar é oferecer presentes caros a Deus porque adorar é expressar amor.

Certo homem voltava de uma viagem de negócios e quis levar uma lembrancinha para a sua esposa que o esperava em casa. Entrou numa perfumaria no Aeroporto e pediu uma colônia.

A atendente prontamente lhe trouxe uma essência muito suave.

- Quanto custa?

- Apenas 50 reais, senhor.

- Moça, por acaso você teria alguma coisa mais barata? Disse o homem...

Então ela lhe trouxe um creme hidratante que custava 30 reais.

- Está muito bom, mas eu estava pensando em alguma coisa mais em conta!

A atendente voltou com um xampu de cabelo que custava 15 reais.

Mas ele pediu algo ainda mais em conta. Daí ela trouxe um batom que custava pouco mais de 5 reais. O homem olhou o batom e disse:

- Olha, o batom tudo bem, mas será que você conseguiria alguma coisa bem barata mesmo?

A atendente parou um pouco, olhou o cliente, então tirou debaixo do balcão um espelho e colocou na mão dele.
Parece engraçado, mas é assim que muitos filhos de Deus se apresentam diante dele – com presentes baratos. Eles oferecem a Deus trazem a migalha da sua atenção, a migalha da sua dedicação, a migalha do seu tempo, a migalha do seu dinheiro. E ainda querem que Deus lhes dê tudo do bom e do melhor.

Alguns se sentem o máximo porque deram 10% do seu ganho. Outros nem a isso chegam – aparecem com uma ofertinha de fim de semana que nada representa no seu orçamento, fará tanta falta quanto um hambúrguer com refrigerante no mês.

Jamais saberemos o que é ADORAR verdadeiramente se não soubermos oferecer presentes caros a Deus.

Maria de Betânia planejou aquele ato de adoração com muito, muito cuidado. O nosso texto diz:

“...veio uma mulher trazendo um vaso de alabastro com preciosíssimo perfume de nardo puro; e, quebrando o alabastro, derramou o bálsamo sobre a cabeça de Jesus.” vs 3.

O Alabastro era um pote feito de uma pedra somente encontrada nas imediações de uma cidade Egípcia chamada Alabastron. Era semelhante ao mármore, mas era mais maleável e facilmente se modelava os potes de perfumes.

O nardo era um bálsamo feito da raiz de uma planta da Índia (Nardostachys jatamansi) que crescia nas montanhas do Himalaya. Os arábios a chamavam de “cravo indiano”.

Não era apenas a distância, mas a raridade da planta que tornava o nardo caríssimo e tão procurado.

O alabastro e o nardo oferecido por Maria a Jesus talvez tenha sido o presente mais caro que Jesus recebeu em todo o seu ministério. Alguns eruditos, com base no cálculo de Judas, que avaliou o presente em 300 denários, (1 denário = um dia de serviço da época) chegam a calcular, a preço de hoje, entre 15 e 20 mil dólares, cerca de 60 mil reais.

Você ofereceria a Deus, numa única apresentação, um presente desses? Isso é amor extravagante.

“O amor não calcula meticulosamente menos ou mais. Não se preocupa em saber quão pouco pode ser decentemente oferecido. Se deu tudo o que tinha, então deu o mundo inteiro, e ainda seria pouco.”

Mas agora, eu quero lhe mostrar a maneira como esse presente foi oferecido. “...e, quebrando o alabastro, derramou o bálsamo sobre a cabeça de Jesus.”

Se ela tivesse derramado apenas umas gotas – eles diriam:

- Oh, vejam quanto amor ela tem pelo Mestre!

Se ela tivesse derramado apenas a metade do Nardo e guardado a outra metade, talvez tivessem dito:

- Oh, vejam que dedicação, nunca vimos algo semelhante a isso!

Não, Maria quebrou o gargalo do vaso e derramou completamente o balsamo sobre a cabeça de Jesus. Por isso disseram:

- Que desperdício!

Veja, não apenas o presente foi caro, mas foi dado sem retorno. Jamais seria re-utilizado o vaso de alabastro e nem o seu perfume.

Quero parar aqui e levar sua atenção para essa figura do Alabastro sendo quebrado para despejar o perfume. Há uma analogia preciosa aqui.

Crentes inquebráveis jamais poderão ser utilizados para alegrar a Deus. A menos que você seja quebrantável, a menos que você seja arrebentável, você jamais poderá oferecer o bálsamo do seu amor a Deus.

Anos atrás, o ator americano Bruce Willis interpretou um personagem que dava título ao filme – Corpo Fechado.

O titulo original é UMBREAKABLE – (inquebrável) e narra a história de um homem que literalmente não quebra.

Ele é o único sobrevivente de um acidente. Em um momento do filme ele começa a perceber que ele jamais ficara doente, jamais se machucara, jamais tivera qualquer necessidade de ir a um hospital.

Mas o paradoxo do filme é que, se fisicamente David (personagem de Willis) é inquebrável, o relacionamento entre ele e sua esposa, ele e seu filho é totalmente fraturado.

Alguns cristãos são desse tipo – corpo fechado – nunca desperdiçam suas emoções com nada. Nunca choram com nada, nunca se alegram com nada, nunca vibram com nada, nunca se abalam com nada.

São vasos de alabastros que nunca foram quebrantados, logo nunca ofereceram nada a ninguém. Adoradores inquebrantáveis oferecem adoração imprestável. São do tipo “crentes-robocop”, as múmias dominicais saem do sarcófago para virem ao templo e voltam pra lá depois do culto.

• Quando foi a ultima vez que você foi quebrantado pela Palavra de Deus?

• Quando foi a ultima vez que sua alma se derramou diante do Senhor, por um cântico, um testemunho que despertou santas emoções em você?

• Quando foi a ultima vez que você demonstrou legitimamente o grau de consciência da sua dívida com Deus?

• Quando foi a ultima vez que você realmente se importou com o que o Senhor Jesus sente, e não com o que você precisa?

Maria apresentou-se para alegrar o coração de Jesus, não para arrancar algum benefício para sua própria vida. Só que antes de quebrar o vaso de alabastro, ela precisou quebrar a si mesma, oferecer a si mesma.

Uma missionária que evangelizava crianças numa ilha do Sul do Pacífico, explicava que o costume de dar presentes no natal era uma expressão de amor que lembrava o grande presente de Deus ao ser humano: Jesus Cristo.

Dias depois, um menino daquela ilha veio à casa da missionária com um cesto de palha, e disse:

- Eu te amo e quero te dar um presente! Então imediatamente tirou do cesto a mais linda concha que ela jamais vira.

A missionária emocionada agradeceu pois sabia que aquela concha somente era encontrada do outro lado da ilha, quase meio dia de caminhada. Ela então disse:

- Por que você teve que ir tão longe para achar essa concha?
O garoto sorriu e disse:

- A longa caminhada faz parte do presente!

Fico pensando em quantas vezes o lugar de adoração fica longe demais, distante demais quando estamos cansados. Quantas vezes Deus tem nos chamado para buscá-lo em oração, mas essa ‘concha’ está longe demais para ser buscada.

 Adorar é Oferecer Tudo o Que se Tem.

Quero terminar essa mensagem encorajando você a sentir o que Maria de Betânia sentiu naquela tarde.

Nenhum de nós pode oferecer Nardo em vaso de Alabastro hoje, até porque Cristo não precisa mais desse tipo de presente. Maria foi desprezada por muitos que ali estavam, inclusive os discípulos.

Achavam que ela poderia ter ajudado muitos pobres com a venda daquele perfume em vez de desperdiçá-lo na cabeça de Jesus.

"Jesus disse: Deixem esta mulher em paz! Por que é que vocês a estão aborrecendo? Ela fez para mim uma coisa muito boa.

Pois os pobres estarão sempre com vocês, e, em qualquer ocasião que vocês quiserem, poderão ajudá-los.

Mas eu não estarei sempre com vocês. Ela fez tudo o que pôde, pois antes da minha morte veio perfumar o meu corpo para o meu sepultamento.

Eu afirmo a vocês que isto é verdade: em qualquer lugar do mundo onde o evangelho for anunciado, será contado o que ela fez, e ela será lembrada. "( Mt 14.6-9)

Note essa frase: Ela fez tudo o que pode e na hora certa. Algumas mulheres semanas depois levaram perfumes para ungir Jesus, na sepultura, mas era tarde demais.

Robert Richardson, um escritor do Século 19 disse que ha três coisas que jamais voltam, não importa o quanto você ore ou lamente: a flecha que sai do arco, a palavra dita e a oportunidade perdida.

Talvez Maria de Betânia tenha pensado: qual a minha mais desejada posse neste mundo? Ah, meu vaso de Alabastro! Isso é meu e é o meu grande tesouro. Eu vou dar ao Senhor.

Pode ter certeza – ela não deve ter perguntado a ninguém, caso contrário não teria nem tirado de casa – alguém diria – você é louca – jogar isso no chão...
E Jesus viu isso e afirmou: - ela fez tudo o que pode.

Naquele mesmo instante a alma de Jesus foi profundamente abençoada por aquela mulher. Aqui está a essência da Adoração – bendizer, abençoar a Jesus, o Filho do Deus Altíssimo.

A prova de como ele se sentiu com aquele presente ‘desperdiçado’, é o que Jesus promete àquela mulher:

“Eu afirmo a vocês que isto é verdade: em qualquer lugar do mundo onde o evangelho for anunciado, será contado o que ela fez, e ela será lembrada.” ( V. 9)

Jesus estava dizendo – Maria, de hoje em diante, se alguém quiser saber a essência da adoração, terá que vir a esta casa, terá que se lembrar desse vaso de Alabastro, desse Nardo, e do seu amor extravagante. Seu presente jamais será esquecido.

Essa fragrância do Nardo poderá desaparecer, mas o incenso da sua oração, do seu amor jamais desaparecerá.

Adorar é isso é oferecer tudo.
Você estaria disposto a fazer tudo o que pode por Jesus?

Conta-se que na Índia, um pobre homem mendigava à beira de uma estrada.
Costumeiramente as pessoas passavam e jogavam em um saco de pano alguns grãos de arroz, e com isso ele sobrevivia. De vez em quando alguém jogava algumas moedas.

Certo dia ele viu uma multidão que se aproximava e no meio dela o Príncipe daquele povo.

Então pensou consigo mesmo: - Que sorte a minha, ele é um homem rico, com certeza me dará uma boa soma em moedas...”

Ao chegar até o mendigo, o Príncipe disse:

- Darias tu a mim, teu Príncipe, o teu saco de arroz?

Estupefato com aquele pedido respondeu:

- Majestade, mas é tudo que me resta...não posso fazer isso!

- Mas eu quero teu saco de arroz! Disse o Príncipe.

- Não posso Alteza, assim morrerei de fome!

Pela terceira vez o Príncipe gentilmente pediu o saco de arroz daquele mendigo.

Muito contrariado o pobre homem meteu a mão do saco de arroz e tirou muito contrariado, 3 grãos de arroz e os colocou na mão do Príncipe.

Então o Príncipe diante de todos, tirou um saco cheio de moedas de ouro e tirou dali – 3 moedas de ouro e as jogou no colo do mendigo.

Caindo em si, o mendigo começou a exclamar:
– Por quê? Por que não joguei todo o meu arroz em suas mãos!
Mas era tarde demais.

Maria não perderia a oportunidade – ela daria tudo o que tinha. Mas teria a sua recompensa. Daquele dia em diante, por todo mundo ficaria registrado o seu presente, o dia em que Jesus foi abençoado por uma simples mulher apaixonada.

"Que darei ao SENHOR por todos os seus benefícios para comigo?" (Sl 116.12)

Hoje quero desafiar você para vir a Jesus hoje – não por você – mas para abençoá-lo, para alegrar o coração de Jesus, para honrá-lo, homenageá-lo.

Hoje não pediremos nada a Ele, a não ser que nos ajude, que nos ensine a adorá-lo em Espírito e em Verdade.

Vamos encher o altar do Senhor de vasos de Alabastros a serem quebrados.

Vamos ungir os seus pés como o Nardo da nossa obediência e submissão.

Vamos deixar no seu altar muitas provas do nosso amor por Jesus.

Vamos vir a Ele pedindo somente que suas poderosas mãos quebrantem a nossa vida, nosso orgulho, nossa mesquinhez, nossa avareza, nosso egoísmo, porque é isso que impede o bálsamo de nardo puro ser derramado diante de Jesus.

Corram rios de Nardo Puro diante de Jesus hoje, que haja um altar erguido com os pedaços dos vasos de alabastro de nossas vidas.

Pois o Cordeiro é Digno pelo seu sacrifício por nós.

2 - A atitude dos discípulos “liderados por Judas” censuram-na fazendo uma avaliação equivocada do seu gesto.

(Mc 14: 4 , 5; Mt 26:8 ,9; Jo 12:4-6)

Por que este desperdício? (v.4) Poderia se fazer coisa melhor com aquele valioso perfume.

 Duas razões para este equívoco:

Mundanismo explícito - representado pela atitude de Judas Iscariotes, que era tesoureiro ladrão. Para ele, que nunca chamou Jesus de Senhor, até a água derramada sobre Ele seria desperdício.

Na estimativa do mundo, o serviço do Senhor e a entrega de nós mesmos a Ele, para o Seu serviço, é um desperdício completo.

Ele nunca foi amado, nunca teve lugar nos corações do mundo, de modo que qualquer coisa dada a Ele é um desperdício. O mundo sempre pensa desta forma.

Por que derramar todo este valor aos pés de Jesus? Você não poderia fazer alguma coisa melhor com sua vida do que derramá-la aos pés dEle? Para o mundo dar-se inteiramente ao Senhor é ir longe demais! (Jo 12 . 4 - 6).

Entretanto Judas não é nosso maior problema, pois, é muito fácil para nós, nos descartarmos do mundanismo.

Mais preocupantes são os outros cristãos, que deveriam compreender completamente o gesto de Maria.

Vemos, contudo, que os outros discípulos disseram a mesma coisa que Judas e, além disto, ficaram perturbados e muito indignados com o acontecido (Mt 26: 8,9).

Esses, são os crentes com valores de utilidade, que pensam em obter tudo quanto puderem com o menor esforço possível, e crentes ativistas para quem o fazer é o principal. Crentes que, equivocadamente se motivam pelo serviço e não pelo Senhor. Para estes crentes, alguém derramar-se aos pés do Senhor é desperdício.

Devemos tomar muito cuidado com nosso foco, pois, isto empobrece e enfraquece tremendamente nossa relação com o Senhor.

O Senhor Jesus Cristo não merece que cometamos tal equívoco.

3 – A atitude de Jesus defendendo-a veementemente e prometendo um incrível registro mundial e para sempre.

(Mc 14: 6-9; Mt 26:10-13; Jo 12 : 7-8)

Porque Jesus fez isto? O que Ele viu numa atitude aparentemente tão simples?

Ele viu um princípio fundamental da Vida, por isso registrá-lo para sempre.

Qual é o segredo? Ao aprovar a ação de Maria, o Senhor Jesus estava estabelecendo um princípio como base de toda a nossa relação com Ele: que derramemos tudo o que temos que nos derramemos a nós mesmos, para Ele.

O mais importante não é se os pobres são ou não ajudados. O mais importante é: O Senhor ficou satisfeito?

A primeira preocupação do Senhor é com nossa posição aos Seus pés e com a nossa atitude de ungir Sua cabeça ou Seus pés, seja com o que for que tivermos como “vaso de alabastro”.

A coisa mais preciosa, a coisa mais querida para nós no mundo - sim tudo quanto pudermos oferecer a partir de uma vida vivificada pela própria Cruz – devemos dar ao Senhor.

Jesus quer nos ver empolgados por Ele, e não pelo serviço em si.

Por que Jesus disse que o gesto de Maria seria contado em toda a parte para sempre? Porque este é o resultado que o Evangelho procura produzir.

Pessoas que derramam tudo que tem, e o que são para satisfazer a Deus. O Evangelho não é apenas para satisfazer os pecadores.

O Evangelho é pregado em primeiro lugar, para que o Senhor possa ficar satisfeito. Foi para isto que Jesus quis pagar o preço para salvar você, para que em primeiro lugar Deus ficasse satisfeito.

Ela praticou boa ação para comigo v.6 este é o ponto crucial para o Senhor.

O coração do Filho de Deus experimenta real satisfação somente quando realmente nos entregamos a Ele, de tal maneira total que, segundo uns diriam, estamos sendo desperdiçados - dando muito recebendo pouco - só procurando agradar a Deus. O Senhor espera ouvi-lo dizer: agradar-Te tão somente é o que me basta Senhor.

Jesus pagou o preço para salvar você querendo ver você amando-O assim.

Judas Iscariotes desrespeitou a Jesus porque era hipócrita.

Os discípulos erraram por tomar princípios errados.

Maria acertou porque focou a Pessoa de Jesus. Ela estava bem consciente de Quem Ele era.

Ela sempre deu a Ele sua melhor atenção. Veja-a, por exemplo, assentada aos Seus pés ouvindo Sua Palavra em Lucas 10:39.

Ela também viu Jesus ressuscitar seu irmão Lázaro, entendendo que Ele era o Senhor Todo Poderoso. Portanto, ela sabia muito bem a Quem estava dedicando sua vida.

Faça o mesmo: conheça-O como ela fez, para que você tenha consciência de que vale a pena derramar sua vida aos pés dEle, sem nenhuma contenção como é do agrado dEle. Lembre-se, Jesus pagou o preço para que esta entrega de vida lhe fosse possível. Vamos lá?

V. A mulher pecadora não falou nada, não pediu nada, mas recebeu tudo!

O estudo do texto nos revela:

1) o que devemos fazer para alcançar a bênção de Deus; 2) o que podemos esperar de Deus! Vejamos...

VI. O QUE DEVEMOS FAZER:

1. CONVIDAR JESUS...
- para entrar na nossa casa

"Convidou-o um dos fariseus para que fosse jantar com ele" - V.36

Todas as bênçãos relatadas no texto ocorreram em decorrência do convite feito a Jesus para um jantar na casa de Simão... Jesus aceitou o convite, compareceu ao jantar, e abençoou a todos!

Se o convidarmos, Ele aceita... Ele deseja entrar na nossa casa. Ele diz:

"Eis que estou à porta e bato. Se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, cearei com ele e ele comigo." ( Ap 3.20)

Convide hoje Jesus a entrar no seu coração.

Permita que Ele faça parte da sua vida.

Entregue a direção de o seu caminhar a Ele.

Permita que Ele seja o seu Salvador e Senhor, amém!


Você se sentiu tocado ao ler esta mensagem ?
Então CLIQUE AQUI !

 

Comente aqui e ajude a divulgar esta mensagem para seus amigos no facebook ...

   

 

 

 

  .::: Sinais dos Tempos :::.
  .:: Boletins ::.
Receba boletins atualizados
do Portal Webservos:


  .:: Enquete ::.

 

•    Quem Somos    •     Fale conosco!     •

Página aberta em: 0,000 segundos

Usuários de Hoje: 17148



Melhor visualisado no Internet Explorer com resolução de 800x600

:: WebServo :: Portal Gospel de Evangelismo Virtual
Desenvolvimento e Coordenação de:
Enéas T. de Oliveira
--=(-wëbsèrvö-)=--