Online: 286
Como Posso Saber que Sou Perdoado?
( 85 visitas )

   


Título original: How May I Know That I Am Forgiven?

Por George Everard (1828-1901)

Traduzido, Adaptado e
Editado por Silvio Dutra


Quanto mais fervorosamente uma alma estiver procurando por Deus, mais intenso será o interesse nessa questão.

É uma questão que não deve ser deixada em dúvida. É certo que muitos e graves pecados podem justamente ser colocados à acusação de cada um de nós.

É certo que todo ato, palavra e pensamento do mal está registrado no livro de recordação de Deus.

É certo que a morte virá logo, e então o julgamento se seguirá! Não é então mais necessário que tenhamos um testemunho seguro de que nossa dívida é paga, e nossa conta com Deus liquidada para sempre?

Mas é a vontade de Deus que os cristãos devem saber com certeza que seu pecado foi cancelado e apagado? É Sua vontade que o cristão seja capaz, com plena certeza, de se alegrar de que seu próprio pecado foi afastado para sempre?

A falsa humildade contestaria isso. Os homens admitem que devemos crer de uma maneira geral que Deus perdoa os pecadores; mas crer positivamente que, "Deus perdoou o meu pecado" - "Estou seguro em Cristo, e para mim não há condenação" - para qualquer cristão dizer ou sentir isso, eles imaginariam as fronteiras muito de perto sobre o orgulho ou a presunção. "Não é bom ter muita certeza", é muitas vezes a linguagem que encontramos naqueles que não entendem o fundamento da esperança de um cristão.

Mas podemos ter certeza de algo que Deus declarou positivamente? Pode ser errado descansar com certeza sobre aquilo para o qual temos a clara ordem da Palavra de Deus?

A Sagrada Escritura deixa muito claro que Deus gostaria que Seu povo se regozijasse na plena certeza de Sua misericórdia perdoadora. Davi, falando pelo Espírito Santo, disse: "Bem-aventurado o homem cuja iniquidade é perdoada, e cujo pecado está coberto". Mas por que essa bênção é revelada, senão para que o povo de Deus possa conhecê-la e se alegrar nela, e que outros possam ver sua alegria e buscar o mesmo privilégio feliz?

Quando Cristo estava sobre a terra, Ele amou aliviar as consciências sobrecarregadas dos pecadores, dando-lhes esta garantia. Para a mulher que era pecadora, Ele falou a palavra de absolvição: "Ide em paz - os seus pecados são perdoados". Para o paralítico, Ele deu antes de tudo a grande bênção de uma completa remissão de culpa: "Filho, tenha bom ânimo, seus pecados são perdoados".

Temos uma imagem do perdão concedido aos pecadores, na emocionante história de retorno e bem-vinda do Prodígio. Poderia haver espaço para uma única dúvida se o pai o havia perdoado ou não, depois do abraço e do beijo de amor paternal?

E o que achamos ser o tom do cristianismo primitivo, tal como nos foi apresentado nos Atos dos Apóstolos e nas Epístolas? Era medo e dúvida e incerteza? Ou não era, em sua maior parte, o conforto e a alegria de uma salvação segura e presente, selada no coração pelo Espírito Santo?

Aqueles que creram no dia de Pentecostes "comeram seus alimentos com alegria e simplicidade de coração", o que eles só podiam fazer pela alegria do pecado perdoado.

O Eunuco etíope e o carcereiro filipense, quando ouviram falar de Cristo e creram Nele, regozijaram-se ao mesmo tempo.

Os coríntios, antes pecadores além da maioria, foram tratados como sendo "lavados, justificados e santificados".

O Apóstolo se une aos Efésios em espírito, como tendo a salvação presente: "Em quem temos a redenção pelo Seu sangue, o perdão dos pecados, segundo as riquezas da Sua Graça".

Ele assegura aos Colossenses que o Senhor "lhes perdoou todas as ofensas".

O Apóstolo João escreve até ao mais novo na fé na mesma linhagem: "Eu vos escrevo, filhinhos, porque os vossos pecados são perdoados por causa do Seu Nome". E novamente ele diz àqueles que creem, que ele lhes escreve para "saberem que têm a vida eterna".

E como devemos crer que uma verdadeira garantia de salvação é de acordo com o ensinamento da Sagrada Escritura - também não é difícil ver que ela traz glória a Deus.

Ela magnifica excessivamente Sua misericórdia livre e abundante, quando um vil pecador, uma vez longe, auto condenado por inumeráveis pecados e transgressões - pode olhar para o Céu com santa confiança e alegria, e louvá-Lo por desviar a Sua ira e apagar todas as suas iniquidades!
Ela magnifica também Sua justiça, pois quando vemos o meio do perdão - a obra consumada e a perfeita Expiação da Cruz, nos alegramos de que Ele é justo, bem como misericordioso para nos perdoar os nossos pecados.

A certeza da salvação magnifica igualmente Sua fidelidade e verdade. Torna-se manifesto que Ele consegue cumprir Suas promessas graciosas, quando a palavra em que confiamos é realizada em nós.

Outro pensamento também muitas vezes me ocorreu, em resposta àqueles que questionam o direito de um cristão de saber com certeza que ele é aceito por Deus. O nosso Pai não nos mandou vir com ousadia ao trono da graça e derramar diante dele os anseios, tristezas e desejos de nosso coração? Mas, como posso fazer isso, sem a certeza de um perdão presente?

Se eu tivesse que ir e fazer meu pedido a um rei, e eu estivesse incerto se o crime de rebelião, em que eu tinha participado, seria perdoado, ou se ele ainda estava com raiva de mim por causa disso - como eu poderia me aproximar dele com alguma garantia de ser ouvido e recebido favoravelmente?

Se eu não sei se Deus perdoou a culpa da minha rebelião contra Ele nos anos passados, que conforto posso ter em derramar meu coração diante de Seu propiciatório?

Ainda mais, sem um perdão seguro, não é possível abundar em louvor e ação de graças e regozijar-se sempre no Senhor. A consciência culpada, o pecado não perdoado, é como uma pedra pesada sobre o coração – mas, a certeza do perdão remove o peso, e destrava os lábios. Então podemos cantar com Davi: "Bendizei ao Senhor, ó minha alma, e tudo quanto há em mim, bendize o Seu santo nome, que perdoa todas as tuas iniquidades, e cura todas as tuas enfermidades".

Mas se é a vontade de Deus que os cristãos possam regozijar-se na certeza de Sua misericórdia – então, como podem melhor alcançá-la? Lembre-se, você deve ser perdoado - antes que você possa conhecê-lo. Você deve ter a riqueza, antes que você possa estar consciente de sua posse.

Ser perdoado é a primeira coisa; E isso vem através da confiança na expiação do sangue da nossa Salvação e confiança. Aquele que se condena a si mesmo, e aceita como castigo devido a si mesmo, o castigo colocado sobre Cristo, e assim se aproxima de Deus - este o homem é imediatamente absolvido de todas as suas transgressões. Ele fica limpo de toda culpa - ele é justificado pela fé no sangue expiatório - Deus não se lembra mais de seus pecados e iniquidades.

Temos o próprio testemunho de Deus, confirmado e repetido de todas as maneiras possíveis, para o perdão completo e justificação daqueles que assim confiam em Cristo. "Quem crê no Filho tem a vida eterna". (João 3:36). "Por Ele, todos os que creem são justificados de todas as coisas". (Atos 13:38).

"Dele dão testemunho todos os profetas, para que por Seu nome todo aquele que nele crê receba remissão de pecados". (Atos 10:43).

E aqui é que vemos o verdadeiro fundamento da certeza da salvação. É o Espírito Santo que fecha no coração a realidade, a verdade eterna e a aplicação pessoal de verdades como estas - de modo que elas se tornem para a alma um pilar de força, um fundamento de segurança imutável.

Não é o Espírito Santo sem a Palavra. Não é por algum sentimento indefinido que somos perdoados, sem saber como ou por quê. Isso às vezes é encontrado - e nós tememos que é geralmente uma ilusão muito perigosa - uma falsificação da verdadeira paz.

Nem é a Palavra sem o Espírito Santo. Torna-se apenas uma letra morta, um livro selado, a menos que o Espírito traga a verdade para o coração. Pode ser lido pelo olho, pode ser ouvido pelo ouvido - mas até ser aplicado pelo Espírito, é totalmente ineficaz para a salvação da alma. Mas, onde há verdadeira consolação sólida e boa esperança pela graça, o Consolador foi o professor, e trouxe o pecador pela Palavra para a casa de Deus.

Tente distintamente ver os passos pelos quais o Espírito trabalha. Às vezes são muito distintos, às vezes um acompanha o outro; Mas, podemos facilmente discernir a diferença entre eles.

1. O Espírito vem como o Espírito de convicção do pecado.

Veja como foi no Pentecostes:

os homens que haviam até aquele momento rejeitado o Filho de Deus, e que se unirão para crucifica-lo e zombar dele, foram convencidos pelo Espirito e viram os seus pecados. Eles viram seu temível perigo; Eles foram atingidos em seu coração, e exclamaram: "Homens e irmãos, que faremos?" E ainda é a obra do Espírito humilhar os homens, convencendo-os de seu pecado. Muitas vezes tem sido que aqueles que foram completamente descuidados, são levados a sentir a carga do seu pecado, e procurarão saber por que meios eles podem ser perdoados.

2. O Espírito vem também como um Espírito de revelação para o conhecimento de Cristo.

Ele abre o olho espiritual para discernir a adequação, a suficiência, a prontidão de Cristo para salvar. Ele revela o poder do Seu sangue para purificar – e a força de Seu braço para redimir e salvar até o extremo!

Então vem a fé - a alma ansiosa olha para cima e confia. A incredulidade ainda pode sugerir suas variadas dúvidas e possibilidades de rejeição, mas a fé se apodera de Cristo apesar disso, e eles se refugiam sob a sombra de Sua Cruz.

3. O Espírito ainda tem outro trabalho para trazer a paz plena.

Ele vem como o Espírito de selo - o Espírito de adoção. "Depois que você acreditou, você foi selado com o Espírito Santo da promessa, que é o penhor da nossa herança." "Porque vós sois filhos, Deus enviou o Espírito de seu Filho aos vossos corações".

"Vocês não receberam o Espírito de escravidão de novo para temer, mas vocês receberam o Espírito de adoção, pelo qual clamamos, Abba, Pai!"

"O próprio Espírito testemunha também com o nosso espírito que somos filhos de Deus".

O ensino de Paulo nestas passagens é muito simples. Para os crentes uma voz interior testifica de sua relação com Deus - uma voz dentro do coração, responde à voz de Deus na Palavra. Deus diz a cada um dos que confiam no sacrifício expiatório e na mediação de Jesus: "Tu estás em Cristo, meu filho, minha filha, em meu bem-amado Filho". Então vem o eco do interior do coração: "Tu és meu Pai, meu Deus, tu me fizeste chegar perto de Ti pelo sangue de Teu Filho. Eis que à maneira de amor nos fizeste, para que sejamos chamados teus filhos! "

Nem há espaço aqui para esperanças e imaginações inúteis e infundadas. O testemunho do Espírito interior, está em exata harmonia com o testemunho da Palavra - só afirma à alma o que está claramente escrito. A Palavra declara que os homens "são filhos de Deus pela fé em Cristo Jesus", e "que todos quantos o receberam, lhes deu poder para se tornarem filhos de Deus, para aqueles que creem em Seu nome". E é somente quando sabemos que é pela Graça de Deus, que confiamos naquele precioso sangue, para que possamos ter certeza de perdão e filiação na família de Deus. Aqui, então, como me parece, é o meio pelo qual podemos saber que nosso pecado foi perdoado. Pela graça do Espírito, apoie firmemente o testemunho de Deus e humildemente espere a Deus para que o poder do Espírito segure a verdade cada vez mais sobre o coração.

De tudo o que já foi dito, vemos que a garantia do perdão não pode ser encontrada através de uma absolvição pronunciada por um sacerdote humano. A única absolvição que os ministros de Cristo estão autorizados a dar é pelo ministério da Santa Palavra de Deus. Eles devem declarar ao homem a certeza das promessas de Deus para aqueles que verdadeiramente se arrependem e creem em Cristo. Mas, eles não têm mandado para assumir a posição de juiz, ou de dar tal absolvição para que o pecador possa confiar nela como uma base de perdão garantido.

Há também evidências auxiliares do pecado perdoado, que não devem ser negligenciadas.

1.Onde o pecado foi perdoado, a consciência será capaz de testemunhar de sua confiança indivisa no sangue da Cruz.

2. Onde o pecado foi perdoado, torna os homens francos, honestos, abertos com o Deus que busca o coração. "Bem-aventurado o homem cuja iniquidade é perdoada - e em cujo espírito não há engano." A alma imperdoável precisa de um manto, e inúmeras desculpas, e uma cobertura justificadora para o seu pecado e negligência. Mas, o homem perdoado deseja desnudar-se diante do olho do divino Coração, todo o mal no pensamento, no motivo, na palavra e na ação. Se você tivesse apenas um terno velho você poderia querer fazer o melhor uso dele, ainda que impróprio para uso, mas se um terno novo e limpo lhe fosse dado, você estaria muito disposto a lançar fora o primeiro.

Aquele que tem em sua posse o manto novo e limpo de uma justificação perfeita em Cristo, abomina e lança fora suas coberturas antigas de dependências vãs e sem valor.

3. Onde o pecado foi perdoado, haverá sempre um desejo sincero de servir a Deus. "O sangue de Cristo purga a consciência das obras mortas para servir ao Deus vivo". (Hebreus 9:14.)

Aquele que é unido com Cristo, produzirá fruto para Deus. (Romanos 7: 4).

A fé que justifica, opera pelo amor - e o amor é um servo muito diligente e ativo. O próprio Espírito Santo, que testemunha o perdão e a adoção, é o Espírito de zelo e obediência. E quem verdadeiramente o possui, não pode deixar de apanhar o espírito das hostes celestiais que sempre obedecem aos Seus mandamentos, escutando a voz da Sua Palavra.

Caro leitor, julgue a si mesmo. Se você confia que você foi graciosamente perdoado - há algo de tudo isso manifestado em sua vida e conversação?

Pode ser que alguém que leia estas páginas ainda não tenha encontrado total garantia. Ainda assim, se você está humildemente se aproximando de Deus através de Cristo, não desanime. Não desacredite a si mesmo porque você ainda não está absolutamente certo de sua aceitação. Não se contente com a incerteza, mas vá em frente para aprender mais de Cristo e Sua livre misericórdia, e ore pela presença do Espírito em seu coração. Entretanto, não preste atenção aos pensamentos desesperados.

Posso imaginar que muitos israelitas, embora seguramente protegidos sob o sangue do Cordeiro Pascal, pudessem ter um grande temor ao pensarem no anjo da destruição que passava pela terra. Certifique-se de se abrigar sob o sangue, porque por ele Deus lhe dará a plena certeza de fé e esperança pelo poder do Espírito.

Mas, se, por outro lado, você é capaz de se alegrar e apropriar-se, com plena confiança, da bênção da salvação de Cristo - deixe que ela tenha um efeito santificante muito saudável. Você tem uma alegria que muitos cristãos não têm, portanto deixe a alegria do Senhor ser a sua força no trabalho, ou no sofrimento por causa do Seu nome. Cuidado com a revolta de qualquer coisa como orgulho espiritual. A alegria deve ser temperada com um santo temor de entristecer o Espírito, ou desonrar o Salvador.

Continuar lendo em
http://www.bookess.com/read/28669-como-posso-saber-que-sou-perdoado/






Visite os Blogs abaixos:

Veja tudo sobre as Escrituras do Velho e do Novo Testamento no seguinte link:

http://interpretabiblia.blogspot.com.br/


A Igreja tem testemunhado a Redenção de Cristo juntamente com o Espírito Santo nestes 2.000 anos de Cristianismo.

Veja várias mensagens sobre este testemunho no seguinte link:

http://poesiasdoevangelho.blogspot.com.br/

A Bíblia também revela as condições do tempo do fim quando Cristo inaugurará o Seu reino eterno de justiça ao retornar à Terra. Com isto se dará cumprimento ao propósito final relativo à nossa redenção.

Veja a apresentação destas condições no seguinte link:

http://aguardandovj.blogspot.com.br/

Faça uma visita ao nosso site para leitura on-line de cerca de 190 títulos de livros que temos publicado com comentários sobre todos os livros da Bíblia, sobre Reforma e avivamentos, e vida cristã em geral.

http://25dutra.wixsite.com/livrosdoprsilvio


Silvio Dutra
25dutra@gmail.com
Igreja Orgânica de Jesus na Abolição
Rio de Janeiro - RJ

Publicado em: 24/4/2017


Você se sentiu tocado ao ler esta mensagem ?
Então CLIQUE AQUI !

 

Comente aqui e ajude a divulgar esta mensagem para seus amigos no facebook ...

   

<< Próxima Reflexão

Contentamento

Reflexão Anterior >>

Deus como nosso Plano de Saúde

 

 

 

  .:: Boletins ::.
Receba boletins atualizados
do Portal Webservos:


  .:: Enquete ::.

 

•    Quem Somos    •     Fale conosco!     •

Página aberta em: 0,000 segundos

Usuários de Hoje: 697



Melhor visualisado no Internet Explorer com resolução de 800x600

:: WebServo :: Portal Gospel de Evangelismo Virtual
Desenvolvimento e Coordenação de:
Enéas T. de Oliveira
--=(-wëbsèrvö-)=--